Tomando conta das peças por inteiro ou como detalhe que faz toda diferença, o plissado decora as peças mais trendy da estação

Há tempos os plissados vêm sacudindo o mundo da moda. E, como muitas de outras tendências que tomam conta dos nossos dias, sua origem começa na França. O termo plisser, que vem do idioma, quer dizer pregueado. O efeito foi criado para dar movimento aos barrados de vestidos usados para dançar, e também é claro, encantar. Nos anos 1920 o acabamento foi bastante difundido, principalmente entre os modelos de cintura desabada das dançarinas de charleston. Na década de 50, o acabamento também mostrou seu poder de fogo. Quem não se lembra do branco voador, altamente sexy e todo pregueado da diva Marilyn Monroe em O Pecado Mora ao Lado? Sobrevivendo firme e forte ao sobe e desce das tendências, nesta temporada o plissado chega comprovando seu poder avassalador. Domina saias comportadas por inteiro ou surge posicionado no barrado. Ainda marca presença entre os tops, tomando conta da peça de ponta a ponta ou decorando delicadas golas. Os plissados também têm fôlego para ir ao trabalho ou a balada. As peças com o acabamento - e feitas de materiais mais encorpados - fazem do look do escritório mais elaborado. Já as de tecidos nobres funcionam bem à noite. Se tiver dúvidas na hora de combinar seu hit plissado, aposte na lei da compensação. Se seu modelo for de seda, invista numa parte de cima de tricô ou tricoline. Já com saias de tecidos pesados, prefira a companhia de um top tipo lingerie. Nos pés, valem mocassins de todas as alturas e as botas de cano encurtado. Tire proveito máximo da tendência e faça dela sua cara metade por toda estação.




Com shape esportivo, a jaqueta atualiza qualquer look e faz bonito do trabalho à balada

Poucos casacos foram tão difundidos na moda quanto as jaquetas bomber. O modelo, com formato esportivo, primeiramente ganhou fama em versão couro e no papel de uniforme dos aviadores ainda no início do século 19. Pouco tempo depois, o cinema se encarregou do restante. Impossível não lembrar da jaqueta imortalizada por James Dean, ainda em 1955, em Rebelde sem causa. O universo do sportswear também se apaixonou rapidamente pela peça e os anos 80 foram derradeiros para a sua popularização. Primeiro, nas academias. E, quase na sequência, um item imprescindível no guarda-roupa da turma do hip hop. Com tantas passagens por tribos tão diversas não é de se estranhar que a jaqueta ganhou status de cool e lugar de destaque no guarda-roupa feminino. Foi ela também uma das primeiras peças a ganhar o sobrenome de unissex. Nesta estação, o modelo segue mais vivo do que nunca. Com detalhes como lindos fl orais localizados ou ainda confeccionados em texturas superfemininas como rendas ou cetim, a peça serve tanto para produções urbanas quanto mais elaboradas. As mais clássicas podem usar sua jaqueta ao lado de elegantes saias lápis, promovendo o equilíbrio entre o volumoso e o sequinho. Vestidos midi também fi cam lindos cercados por esta cobertura confortável. As adeptas a looks mais arrojados têm ainda a opção de usar a bomber em parceria com pantacourts, pantalonas ou calças do tipo pijama. A única coisa que não é permitida é abrir mão da peça. Invista rapidamente na sua e tenha certeza de que ela permanecerá imbatível por muitas décadas.